2.2.18

As Crônicas de Nárnia | RESENHA


Hoje quero te falar sobre um livro que ficará na minha memória para sempre. Com certeza você já ouviu falar nas Crônicas de Nárnia. Talvez já tenha até assistido aos filmes. Mas se não leu ainda recomendo fortemente que clique nos link abaixo, compre o livro (sempre tem promoção) e inicie a leitura assim que puser as mãos no seu exemplar. 

As Crônicas de Nárnia é muito mais que um mero compilado de fantasias. O livro tem um sentido muito mais profundo. Consegui ver paralelos com a Bíblia. Talvez ele seja uma metáfora para falar de Deus. Mesmo que você não seja religioso (a), ele ainda deixa mensagens lindas que com certeza você vai aproveitar. 
- Está também em nosso mundo?- Perguntou Edmundo.
-Estou. Mas tenho outro nome. Foi por isso que os levei a Nárnia, para que, conhecendo-me um pouco, venham a conhecer-me melhor.  
FICHA CATALOGRÁFICA

Título: As Crônicas de Nárnia
Autor: C.S. Lewis
Título original: The Complete Chronicles of Narnia
Tradutor: Paulo Mendes Campos e Silêda Steuernagel
Ilustração: Pauline Baynes
Editora: wmf Martins Fontes
Ano: 2009
Edição:
Número de páginas: 752

Link para compra: Amazon | Submarino | Cultura | Saraiva | Fnac





Este volume único traz as sete crônicas, cada uma com cerca de 100 páginas. Elas traçam toda a história do país Nárnia, desde a sua criação até o seu fim. 

A primeira delas, O Sobrinho do Mago,  faz um paralelo com Gênesis. Duas crianças, ao tentarem derrotar uma feiticeira má, acabam chegando a uma terra criada por um leão enorme. Nessa terra tudo o que se planta nasce, e os animais falam. 

A segunda crônica é mais conhecida, representada lindamente pelo filme homônimo O Leão, A Feiticeira e O Guarda-Roupas. Ela se passa muitos anos após a primeira, e é uma continuação, inclusive alguns elementos da crônica anterior são fundamentais para o entendimento dessa. Lúcia, Susana, Pedro e Edmundo são irmãos que foram passar férias na casa de um professor e descobrem um belo país, num mundo paralelo. Eles estão em Nárnia, que vive um grande inverno de cem anos. Aqui temos Edmundo traindo o grupo e  humilhando Lúcia, que também era desacreditada pelos outros dois irmãos mais velhos. E o final dela tem uma mensagem muito bonita. 

A terceira crônica, O Cavalo e Seu Menino, se passa durante o reinado dos quatro irmãos em Nárnia, porém não os tem como protagonistas. Aqui temos noção da geografia de Nárnia, e dos países vizinhos e das personalidades dos seus habitantes e governantes. Aslam mostra-se rigoroso, embora bom. 

Em O Príncipe Caspian os quatro irmãos são chamados mais uma vez para tirar Nárnia de apuros. Uma história cheia de batalhas por poder, reis traidores, e muita emoção. Aqui lembra um pouco O Senhor dos Anéis e outros livros de Hard Fantasy. 

No quinto livro, A Viagem do Peregrino da Alvorada somos apresentados a um novo personagem: Eustáquio, primo dos quatro irmãos. É linda a mudança do menino metido a moderno. Uma crônica emocionante e cheia de aventuras em alto-mar. 

A Cadeira de Prata é a mais sombria de todas elas. É como se o fim estivesse chegando. O Rei Caspian está muito velho e seu filho desapareceu. Lógico que crianças de um outro mundo, no caso Eustáquio e Jill, sua amiga, chegarão em Nárnia, trazidos pelo próprio Aslam. Ele dá uma tarefa muito importante à garota. Essa crônica mostra como as tentações do caminho nos afastam de nossa missão. Mas que sempre é tempo de voltar e fazer a coisa certa. 

A Última Batalha é a mais triste de todas. Ela não encerra o livro exatamente como eu esperava. Esse é o fim de Nárnia. Claro que não vou contar como isso ocorre. Mas é sangrenta, pesada, e triste. Mas ainda assim emociona.

Algumas considerações:
  • O tempo em Nárnia se passa de forma diferente que em nosso mundo. Vários anos em Nárnia podem se passar sem que se passe um minuto sequer aqui. E não existe uma relação muito precisa quanto ao tempo.
  • Os anões são representados como não-humanos. Isso ocorre em várias fantasias. É muito triste porque essas pessoas sofrem bastante preconceito e são tratadas como aberração. E eles são humanos sim, como eu e você. Apenas possuem uma variação genética que lhes conferem menor estatura. 
  • Esse livro é muito lindo! Leiam!
Nota: 

2 comentários:

  1. Eu li o livro todo quando tinha uns 13 ou 14 anos. Me lembro que foi uma experiência muito legal, e os meus amigos ficaram chocados que eu tinha lido todo aquele livro enorme, rs! Eu me lembro que o último conto me deixou muito triste. Eu curti bastante os filmes também. É uma leitura incrível, indico sempre!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Parece que naquela época o tamanho dos livros assustavam mais, né? Obrigada pelo seu comentário e seja bem vinda a bordo!

      Excluir

Quero saber sua opinião! Ficarei muito feliz com o seu comentário!



Ilustração por Wokumy • Layout por