11.10.17

O processo de Personal Coaching

People!! Desculpa o chá de sumiço que dei em vocês, mas estive em uma semana de provas bem ferrada e para ajudar meu digníssimo HD queimou no final de semana e agora estou tendo que me virar para cuidar do blog no tempo livre no PC da faculdade ou no meu computador antigo que é uma tartaruga. Mas enfim, feriado está chegando e poderei adiantar algumas coisas e atualizar o blog. 

Hoje quero contar para vocês como está sendo meu processo de personal coaching, que estou fazendo com a Ota Azevedo, parceira do Check-in Virtual. 

Vamos primeiro aos termos: Coaching é o processo. Coach é a pessoa quem "aplica" esse processo em você, no caso, a Ota é a minha coach. e coachee é quem está passando pelo processo, no caso eu. Desculpa a repetição de termos, mas assim fica mais claro. 


Em segundo lugar, quero ressaltar aqui, de modo a não deixar dúvida alguma que o coaching não substitui o acompanhamento psicológico. Se você tem algum problema psiquiátrico, como depressão, ansiedade, síndrome do pânico, transtorno bipolar, esquizofrenia, TOC, transtorno borderline, dentre outros, não deixe jamais de procurar um psiquiatra e um psicólogo para fazer o acompanhamento adequado. Esses profissionais são especializados em saúde mental e sabem conduzir essas doenças da forma adequada. O processo de coaching é complementar, mas não é um tratamento. Recado dado, vamos falar do processo agora. 

O coaching auxilia no autoconhecimento. É um exercício constante de superação de obstáculos e busca de respostas que estão dentro de você. O coachee inicia com uma meta, que pode acabar mudando ou se adequando ao longo do processo, que irá ajudá-lo a atingi-la. 

No meu caso, eu comecei o coaching porque quero tirar habilitação. Vou contar um pouquinho do meu drama. Quando completei 18 anos dei entrada na minha habilitação. Passei no psicotécnico, no exame teórico, conciliei cursinho pré-vestibular com aquele monte de aulas chatas e comecei as aulas práticas. Ao terminá-las, reprovei sucessivas vezes. Foram sete. Até que o processo venceu. Este ano eu recomecei tudo, fiz psicotécnico, CFC, tudo de novo, e percebi que dirigir é igual andar de bicicleta. Eu entrei no carro e sabia o que fazer. Para uma pessoa sem experiência, eu dirijo bem. Mas reprovei mais uma vez no exame prático. No total de 8 vezes, em todas eu estava extremamente nervosa. Todas as vezes errei coisas que sabia fazer, e tinha consciência que não deveria errá-las. Mas sou uma pessoa extremamente nervosa, ansiosa e para ajudar tenho síndrome do pânico (sim, acompanho direitinho com minha psicóloga e psiquiatra). Então é claro que não consigo fazer uma coisa tão besta como um exame de rua sem ser dominada pelo nervosismo. 
Olha a Ota com o livro que ela segue

Comecei o coaching com o intuito de tirar logo essa porcaria de habilitação, pois amo dirigir e esse sempre foi meu sonho. E não me sentiria bem me rendendo à corrupção e "comprando a carta". 
Durante o processo de coaching a Ota me ajudou a perceber que na verdade minha meta não era a habilitação, mas sim autocontrole e calma. E estamos trabalhando a respiração, fazendo exercícios de autoconhecimento. Porque o coaching é um processo bastante prático. Temos vários exercícios, tarefas para casa, e espécies de jogos, que de forma lúdica fazem com que a gente se encontre, se conheça e entenda como pode se superar. 

Estou aproximadamente na metade do processo e então não posso dizer ainda se surtiu efeitos, pois não fiz a prova ainda. Mas em outras situações que consideraria absurdamente estressantes, como aula de cirurgia, prova prática de clínica médica e até a minha recente queima de HD, percebi que sou capaz de manter a calma e pensar com clareza (ou nem tanto, já que errei uma besteira colossal na prova de clínica e só percebi quando cheguei em casa. Mas é com os erros que aprendemos, não é mesmo?). 

Ao final do processo eu volto aqui para contar para vocês os meus resultados. E me acompanhem pelo Twitter (@checkinvirtual) onde saberão em primeira mão se passei ou não na prova, no Instagram (@checkinvirtual), onde sempre estou compartilhando novidades e na página do Facebook para não perderem o post quando for ao ar. Um grande beijo a todos e sejam bem vindos a bordo! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Quero saber sua opinião! Ficarei muito feliz com o seu comentário!



Ilustração por Wokumy • Layout por