3.2.17

Precisamos falar sobre "A Mágica da Arrumação"

Reprodução/Editora Sextante

O post de hoje é sobre livros. Contudo, ele é bem diferente dos posts sobre livros que o Check-in Virtual costuma trazer. 
Hoje vou falar sobre " A Mágica da Arrumação", da Marie Kondo, que deu o que falar ano passado.
Para quem não sabe, é um livrinho bem fino, porém preciso. Ele traz o método de organização desenvolvido pela própria autora às custas de tentativa e erro em seu quarto, desde a adolescência. Ela percebeu que sempre que seguia os conselhos de revistas de organização a bagunça voltava e todo aquele tempo organizando tudo fora inútil. Então foi pouco a pouco desenvolvendo seu método e neste livro ela conta este processo, ensina a aplicar e mostra casos de clientes (sim, ela é consultora de organização).
O lema maior do livro é manter aquilo que te faz feliz. E nenhuma outra frase pode fazer mais sentido do que esta. Qual o propósito de você viver num ambiente cercado de coisas que não te agradam? A leitura me fez pensar em como perdemos tempo e dinheiro valorizando objetos que não nos servem realmente. As coisas PRECISAM ter uma utilidade e além de tudo, você precisa gostar delas.
Fonte: Pinterest
O segundo ponto que a autora pega muito no pé é o desapego. Desapegar de tudo aquilo que nos é inútil. Este conselho me incomodou bastante não pelo fato de desapegar, mas pela forma como é feita: ela fala para jogar no lixo. Livros, sapatos, roupas, objetos. Talvez no Japão não exista a miséria que temos aqui no Brasil, mas pensando em nível de nossa realidade me parece um tanto absurda a ideia de simplesmente jogar fora objetos em perfeitas condições de uso, que poderiam ser aproveitados por outra pessoa. Por exemplo aquela panela que você comprou e odiou, pode ser doada para uma família carente ou para algum orfanato. Aqueles potes, para abrigos de animais, aquelas roupas para a campanha do agasalho. Minha mãe sempre me ensinou que aquilo que me sobra pode ser a necessidade de alguém.
Fonte: Pinterest
Outro aspecto no livro que me deixou bastante incomodada foi o excesso de personificação de objetos. Tal roupa cumpriu sua função então ela não será mais feliz na sua gaveta. Veja se sua blusa parece mais feliz dobrada ou pendurada. Nesse mundo materialista em que vivemos achei um tanto absurda essa atribuição de sentimentos a objetos. Eles precisam TE fazer feliz, não estarem felizes ou não em sua gaveta. Talvez seja apenas uma alegoria para ajudar os acumuladores, mas pouco a pouco vamos nos preocupando mais com o carro que com o pedestre, mais em acumular dinheiro para comprar itens caros que em usar esse mesmo dinheiro para ajudar alguém. Dar sentimentos a objetos pode parecer inocente, mas quando paramos para pensar que algumas pessoas são capazes de pagar milhares de reais por uma bolsa enquanto tantos passam fome é que percebemos a gravidade da situação. 
Agora que já desabafei tudo o que me incomodou neste livro, posso dizer que comecei a colocá-lo em prática. Apenas no meu quarto, é verdade, mas já deu aquela vontade de mexer na casa inteira. Claro que tem alguns conselhos que creio que não se adaptariam tanto a mim. Não existe formula mágica para isso, mas posso dizer que a minha bagunça diminuiu. 

Fonte: Pinterest
Eu sempre fui relativamente organizada, mas sentia a minha escrivaninha sair do meu controle ultimamente. E jogando UM MONTE de tranqueiras fora, separando outras tantas para doação, reorganizando, evitando pilhas (na medida do possível, pois meu quarto é pequeno e eu guardo muitas coisas nele) eu percebi que tudo ficou mais prático e acessível. O segredo é categorizar. Me livrei de um monte de porcarias que eu tinha guardado pensando precisar e que eram inúteis. Consegui separar melhor minha papelada. Mas não fui pela ordem indicada pelo livro porque sou teimosa. Preferi fazer por armários, um por dia para não cansar muito e desistir no meio do caminho. Ainda faltam algumas prateleiras para organizar, mas me sinto muito mais leve e preparada para este ano que começou.
Já é costume dar AQUELA faxina no quarto todo início de ano, mas essa foi uma das que me deixou mais leve e cuja organização ainda dura. 
Recomendo muito a leitura. Eu li em e-book e pretendo comprar um exemplar físico para deixar em casa, pois é aquele livro de ler sempre. E comprar alguns para presentear também, porque quando você se livra da bagunça você ganha tempo para viver.

Quem já leu e aplicou o método me conta como foi!

Vou deixar os links de lojas afiliadas aqui embaixo para quem quiser comprar. 

4 comentários:

  1. Eu tenho mania de organização rs, acho que vou ler esse livro :)
    Beijos,
    Juliana.
    Fabulônica
    Fanpage
    Instagram

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leia sim que vai gostar!
      Seja bem vinda a bordo!

      Excluir
  2. Nossa, que interessante!
    A princípio a gente pode pensar: "Quem é que precisa da ajuda de uma especialista pra poder arrumar o quarto?", mas às vezes até a pessoa mais organizada precisa. Eu gosto de todas as minhas coisas bem arrumadinhas, principalmente pra poder achar tudo que eu preciso sem ter que ficar procurando muito. Mas como meu quarto tem poucos móveis e eu às vezes estou cansada, acabo simplesmente jogando todas as coisas por aí. Uma vez, tinha uma pilha de roupas tão grande por cima dos meus livros, que eu não sabia mais quais eram sujas ou limpas, e as que deviam estar mesmo limpas acabaram sujando porque caíram no chão e eu não limpava o quarto há alguns dias! kkkkk
    Acho que o meu verdadeiro inimigo mesmo é a preguiça de colocar as coisas no lugar onde peguei. Eu deixo em outro lugar que parece mais fácil, e então acabo me acomodando. Algumas vezes tenho que dar aquela geral no quarto pra colocar tudo no lugar, e isso faz eu me sentir muito melhor, porque é o meu ambiente.
    Concordo com você sobre as coisas que te incomodaram no livro. Só jogar tudo fora vai acabar criando uma outra bagunça muito pior, uma bagunça no planeta. Não sei se o lixo é tratado corretamente no Japão, mas a gente sabe como é aqui no Brasil, né? Pelo mesmo motivo que você, sou muito a favor de doar coisas. Tento fazer isso sempre que posso (inclusive estou aprendendo a fazer isso com os livros, embora eu goste mesmo é de vender).
    Enfim, gostei. Parece ser um livro que vai ajudar a gente muitas vezes ao longo da vida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, sou igualzinha a você em questão de organização!! Detesto bagunça, mas as vezes o cansaço e a preguiça vencem... Mas ter um lugar certinho para tudo facilita demais, não faz ideia!!

      Excluir

Quero saber sua opinião! Ficarei muito feliz com o seu comentário!



Ilustração por Wokumy • Layout por