12.2.19

O meu sumiço

Selfizinha na livraria Bertrand de Lisboa, a livraria mais antiga em funcionamento!

Que saudades desse cantinho! Que saudade de conversar, escrevendo o que me vier à cabeça, apenas apertando os botões do meu teclado (tec-tec-tec-tec)!

Eu desapareci por um tempo. E vou explicar o que houve. 

Eu sou uma pessoa que quando cisma com um assunto não pensa em mais nada. E assim comecei a consumir, freneticamente, conteúdos que ensinavam a crescer com o blog, ganhar dinheiro pela internet. Eu estava obcecada. Entrei em diversos grupos de interação no Instagram e na minha cabeça tudo se resumia a produzir conteúdo. 

Como você bem sabe, nos últimos anos resolvi aumentar a quantidade de conteúdo semanal. Passei a escrever 2 textos por semana e gravar um vídeo. Só que eu faço Medicina, um curso que me consome muito intelectualmente. As aulas são em período integral, tem muita matéria para estudar, pressão para tirar boas notas e aquela pressãozinha básica de que se não soubermos de um determinado assunto podemos matar alguém. Então imagina o quanto fiquei sobrecarregada...

Eu não queria mais ler, mas queria estudar sobre marketing digital. Ok, eu tenho um blog literário e para eu poder falar qualquer coisa por aqui, preciso ler. 

Ainda por cima, nessa tentativa louca de crescer com o blog, resolvi participar do Desafio Méliuz. Lógico que com essa rotina doida só consegui fazer os dois primeiros  vídeos e desisti em seguida. E foi aí que resolvi dar um tempo. 

Comecei a analisar os grandes produtores de conteúdo que acompanho e percebi que está faltando autenticidade! Parece que a pessoa não tem mais o que falar e só faz propaganda. Sério, todo post que rolo no insta vem a #publi. 

E eu aqui, doida para ganhar dinheiro com meu blog para pelo menos ajudar nas minhas despesas em casa. E foi essa busca por dinheiro que meio que matou o meu sonho do blog. 

O Check-in Virtual existe desde 2010. Sempre usei esse espaço para compartilhar sentimentos. Era aqui que escrevia meus textos horríveis, diga-se de passagem
Depois de muito tempo afastada, em 2015 resolvi retomar a escrita. Eu estava começando a faculdade e decidi que voltaria com o hábito de leitura que perdi durante o vestibular. E o blog me ajudava a ler. 

Com o tempo, fui me apaixonando por outras formas de produzir conteúdo. Aprendi a fotografar, passei a amar o Instagram, e apesar da minha timidez, amei gravar vídeos! Na época em que fazia tudo isso por amor eu não me sentia sobrecarregada. Porque fazia quando dava tempo. Quando tentei profissionalizar, passei a seguir cronogramas. 

Então, pretendo voltar aos pouquinhos. Sem agenda rígida, quando der tempo. Comecei retomando o Instagram, agora retomarei o blog. O YouTube, talvez demore mais. Gravar e editar me consome muito tempo. 

Outro motivo pelo qual me afastei um pouco é que fiz um intercâmbio. Foi minha primeira viagem internacional, e caso estivesse com o blog e canal ativos, iria querer produzir conteúdos, vlogs e aproveitaria bem pouco. Fora que o planejamento também me tomou bastante tempo. 

Agora, voltei renovada, cheia de ideias e pretendo trazer conteúdos diferentes para você! Espero que me aceite de volta!
19.10.18

Sereias: Encantos e Perigos | Resenha


Para entrarmos no clima de Halloween, a resenha de hoje é de um livro sobre sereias. Sim, aquele ser mitológico que encanta e depois arrasta para as profundezas. É uma antologia de contos nacional que vale muito a pena ler. O livro foi publicado pela editora Delirium por meio de financiamento coletivo.

Título: Sereias: Encantos e Perigos
Organização: Graciele Ruiz
Editora: Delirium
Ano: 2018
Número de páginas: 272
Edição:

17.10.18

Escritores que também foram médicos

médicos que também foram escritores

Olá pessoal tudo bem? Amanhã é dia 18 de Outubro, dia do médico, dia da minha futura profissão. Então resolvi homenagear aqui alguns médicos que também foram escritores. Ou melhor, alguns grandes escritores que eram médicos de formação. 
12.10.18

Por que incentivar a leitura desde a infância?


dia das crianças
Mesmo tendo passado boa parte da infância enfiada nos livros, foi a única foto que achei de mim lendo...

Feliz dia das crianças! Nós sabemos que um bom leitor muitas vezes começa desde cedo. Hoje vou falar os motivos pelos quais devemos incentivar as crianças a ler. 

1-Estimular a imaginação

Quando você lê para uma criança isso estimula a imaginação. Sabemos que a criatividade das crianças é infinitamente maior que a nossa. E num mundo de tantas imagens prontas com desenhos e vídeos na internet, por que não estimulá-las a criarem as próprias imagens?

2- Muitos livros infantis reforçam valores

O caráter começa desde cedo. Fábulas com lições de moral ou livros que ensinem valores como a generosidade, a educação, divisão de serviços domésticos, respeito, igualdade de gênero entre tantos outros. 

3- Estimular uma mudança de vida

O estudo é a melhor forma de uma pessoa ter uma vida melhor. Sabemos que as pessoas com nível superior conseguem salários melhores do que aquelas que não têm. Fora que a educação sempre é um bom investimento. Aliás, é a única forma de mudar o mundo para melhor. 

4- Formar um leitor (e consequentemente uma pessoa com senso crítico)

A leitura é capaz de estimular o senso crítico. Até mesmo porque temos grandes obras que abordam questões de cunho social e político que nos ajudam a refletir sobre as mudanças que queremos ver no mundo. Na maioria das vezes o primeiro contato com a literatura é na pré-adolescência, com clássicos brasileiros (que são muito bons, mas muitas vezes estão além da capacidade de compreensão desses alunos), e isso acaba criando o mito de que "ler é chato". Se o estímulo vier de casa, vai ser muito mais fácil quebrar esse paradigma. 

Por isso, incentive a leitura desde a primeira infância. Vou dar o exemplo dos meus pais, que acredito que tenha funcionado bem. 

Minha mãe, mesmo trabalhando fora, tirava pequenos momentos no dia para ler para mim. 15 minutos é mais que suficiente. Ela também comprava livros emborrachados para ler no banho (eu adorava tomar banho "lendo" o livro do Cebolinha), sempre tinha gibi em casa e aqueles livros mais lúdicos. E quando tinha feira do livro na escola ela me incentivava a escolher algum livro que eu gostasse (no caso eu gostava de todos e ela tinha que me controlar). Eu lia muitos contos de fadas naquelas versões fininhas ilustradas (são super baratinhos, na internet tem opções por menos de 5 reais) e mais tarde comecei a frequentar a biblioteca da escola para ler os livros da Maria Heloísa Penteado. 

O incentivo à leitura não precisa ser caro. Você pode incentivar a criança com gibis por exemplo, pode procurar livros infantis em sebos e feiras de livro (nessas feiras tem muita opção boa e lúdica por 5 reais), em lojas populares de brinquedos vendem livros que fazem sons a preços acessíveis, pode ler cordéis para a criança... O importante é estimular o contato. Deixar que a criança toque o livro, cheire, veja... Aqueles contos de fadas em livros de colorir são ótimos para isso!! E conforme ela for crescendo, estimule a criança a frequentar a biblioteca da escola e a levar livros para casa. Não podemos esperar que a escola tome a iniciativa. Esse tipo de incentivo vem da família. 

Mesmo que você não tenha filhos, pode fazer a sua parte. Dê livros de presente quando for chamado para um aniversário de criança, leia para um priminho ou sobrinho, irmão mais novo... E se tiver livros sobrando em casa, doe para uma biblioteca de escola pública. Com certeza vai mudar a vida de muita gente. 


ACOMPANHE O BLOG NAS REDES SOCIAIS

Instagram (@checkinvirtual)
3.10.18

Como melhorar suas fotos de livros

fotos de livros

E aqui vai mais uma dica para os bookstagrammers! Eu sei que não sou a maior autoridade no assunto, mas como já ande falando por aqui, ao longo de 3 anos de blog e Instagram literário aprendi muito sobre fotografia. Então hoje vou dar algumas dicas para você melhorar as suas fotos de livros. O post de hoje vai ser mais sobre olhar fotográfico e ângulos a serem explorados do que técnicas em si. Também será um post bastante visual, porque vou deixar varias imagens de exemplo, tanto minhas como de amigos bookstagrammers. 
Aqui embaixo você pode conferir outras dicas para fotografar livros, mas já aviso que é visível a minha evolução!


28.9.18

A Moreninha | Resenha

A resenha de hoje é de um clássico do Romantismo brasileiro escrito por Joaquim Manuel de Macedo. A Moreninha é considerado o primeiro romance romântico brasileiro.

Título: A Moreninha
Autor (a): Joaquim Manuel de Macedo
Editora: Ciranda Cultural
Ano: 2007
Número de páginas:160
ISBN: 85-7520-664-8 



Ilustração por Wokumy • Layout por