15.8.18

Quem são os escritores do Nordeste? | Estados Literários

autores nordestinos

Hoje vamos falar de uma região que já produziu (e ainda produz) muita literatura boa, inclusive grandes clássicos, mas que infelizmente encontra-se bem distante do eixo Rio-São Paulo, onde tudo acontece, inclusive a Literatura.

Sim, vamos falar da Literatura do Nordeste, que me enche de orgulho de ser brasileira e de ter raízes nordestinas!

O Nordeste já foi o grande polo econômico e cultural do  Brasil. Quando o Brasil ainda era colônia, Salvador era a capital. E mesmo depois da vinda de D. João VI, que transferiu a capital para o Rio de Janeiro, o Nordeste ainda tinha uma enorme participação na economia brasileira (e por que não falar, portuguesa também, já que eles nos exploraram) com os engenhos de açúcar. Isso fazia com que os grandes latifundiários fossem muito ricos e pudessem custear estudos na Europa para seus filhos. Hoje em dia, contudo, o cenário é bastante diferente. As grandes editoras estão localizadas no Rio de Janeiro ou São Paulo, bem como os eventos literários. Isso acaba dificultando o trabalho de novos escritores, que precisam se deslocar para esses centros a fim de tentarem uma carreira de sucesso na Literatura (e convenhamos que para qualquer região é difícil viver de Literatura no Brasil).

Então vamos falar um pouquinho mais sobre os escritores de cada Estado?

Gostaria de lembrá-los que aqui é apenas uma seleção de autores. E na mesma lista temos autores célebres, clássicos e autores independentes e contemporâneos. O objetivo é difundir a Literatura Nacional, então vale colocar na mesma lista autores de toda fama! Caso queiram, posso voltar aqui falando sobre autores contemporâneos de cada Estado. 
3.8.18

Everything, Everything - Lendo em Inglês


O 4º desafio do Lendo em Inglês foi "Tema Importante", e refere-se aos meses de Julho e Agosto. 

Escolhi o livro Everything  Everything, da autora Nicola Yoon por representar uma personagem com SCID- Imunodeficiência Combinada Grave. Considerei esse tema importante por tratar-se de uma doença muito subdiagnosticada, que mata muitas pessoas, principalmente crianças, antes que os médicos desconfiem dela. 

A SCID pode apresentar várias formas. E caracteriza-se por uma incompetência no sistema imune, o que deixa o paciente muito susceptível a infecções. Como este organismo não tem defesas, uma infecção que para nós seria muito fácil de resolver, como uma amigdalite, resfriado, quem sabe até mesmo uma pneumonia simples, pode ser letal ao portador de SCID. É uma causa de imunodeficiência primária e é congênita, ou seja, o paciente não pega a doença, mas nasce com ela. 

O livro já me incomodou logo no início: A protagonista apresenta sua doença e resume: eu basicamente sou alérgica ao mundo. Isso foi um erro crasso de revisão. Creio que um livro que trate de uma doença como pano de fundo deva passar por uma revisão científica. Madeline não é alérgica. Ela pode pegar uma infecção e morrer. Só um adendo: a alergia pode vir junto. É até um dos sinais da doença. Mas isso não resume a SCID. 
27.7.18

Resenha | Jane Eyre



Hoje vamos falar de um liro muito especial. Um livro que me abriu os horizontes para outros clássicos, me mostrou que sou capaz de escolher boas leituras e me tocou profundamente. Estou falando de Jane Eyre. 

Eu comecei a leitura graças à leitura conjunta do Literature-se.  E foi uma experiência completamente diferente do que eu imaginava. Depois da minha decepção com Orgulho e Preconceito fiquei meio insegura quanto a romances clássicos. Imaginava que Jane Eyre seguiria pelo mesmo caminho de poucos acontecimentos e muitos diálogos. Ledo engano! A vontade era ler muito mais do que as páginas estipuladas pela Mellory!

O mais legal é que poucos dias antes eu tinha olhado o catálogo dos livros gratuitos do Kindle e encontrei esse, traduzido, publicado pela KTTK. E baixei por baixar mesmo.  Quando ela lançou a leitura conjunta, resolvi participar. Eu nunca tinha participado de um projeto assim, com todo mundo lendo até o mesmo ponto do livro na mesma época. 

FICHA CATALOGRÁFICA

Título: Jane Eyre
Autora: Charlotte Brontë
Tradução: Leyguarda Ferreira
Ano: 2018
Editora: KTTK
Link para compra: Amazon | Submarino | Saraiva
Link para a minha edição: Amazon

Comprando pelos links acima você ajuda a manter o blog sem gastar nada a mais por isso. 
25.7.18

Bienal do Livro de São Paulo - O que preciso saber antes de ir


Infelizmente não tenho fotos melhores porque meu computador queimou e eu perdi tudo:/ 
Está chegando um dos mais aguardados eventos literários de 2018! A 25ª Bienal do Livro de São Paulo acontecerá entre os dias 03 e 12 de Agosto de 2018 no Pavilhão Anhembi. 

1- Como chegar ao Anhembi?

A estação de metrô mais próxima é a Portuguesa-Tietê. Isso é ótimo, porque se você está vindo de outra cidade nessa estação também funciona uma das rodoviárias de São Paulo. Durante todos os dias da feira haverá transporte gratuito entre a Estação Tietê e o Anhembi,e nos finais de semana esse serviço será prestado também a partir da Estação Barra Funda. Ano passado haviam vans extra-oficiais que prestavam o serviço a 5 reais. Em um dos dias eu fui com o ônibus gratuito e no outro fui com uma das vans. Cheguei inteira e viva! Vale lembrar que as filas são gigantescas!
Caso esteja indo de carro, tem estacionamento no local, mas precisará desembolsar a bagatela de R$40,00. No site oficial tem todas as informações. 

2- É um evento que dura o dia inteiro, tem comida por lá?

Tem sim, mas ano passado era tudo muito caro. Tinham restaurantes de rede, mas o preço estava muito acima do praticado normalmente. Um sanduíche de queijo e presunto chegava a custar 20 reais, as filas eram enormes também. Acabei achando um salgado mais em conta em comparação aos outros preços. Recomendo que leve alguma coisa para comer de casa. Leve também uma garrafinha com água. Você vai ficar andando o dia inteiro, enfrentando filas e o lugar é quente e abafado. É melhor se manter alimentado e hidratado. 

3- Qual tipo de roupa devo usar?

A que você quiser. Só não recomendo salto alto, já que ficará de pé o dia inteiro, andando e se perdendo entre os corredores. O ideal é ir com uma roupa confortável e que te faça se sentir bem. Vai gente com todos os estilos possíveis nesse evento! Vale lembrar que o lugar é bastante abafado, então você vai passar um pouquinho de calor. E em São Paulo o tempo muda de uma hora para outra, então vale levar um casaco que seja fácil de carregar ou amarrar na cintura. 

4- Quanto tenho que levar de dinheiro?

Depende da sua condição. Ano passado eu gastei fácil fácil uns 200 reais em livros porque não me planejei. Mas comprei livros de faculdade também. Isso vai depender dos livros que quer comprar (se quiser de algum autor específico que esteja autografando, ou comprar no estande da editora se prepare para gastar mais), onde pretende comprá-los e se pretende ou não comer por lá. Mas penso uma média de 40 reais para um livro direto com o autor ou na editora, e uns 15 para livros em estandes de feiras de livros, mais 30 para almoço.

5- Como me controlar para não comprar todos os livros que quiser?

Sugiro deixar uma lista com fácil acesso. Pense num teto de gastos, pense naqueles livros que você queira muito comprar autografado ou que sejam difíceis de encontrar normalmente. Deixe um dinheiro reservado para alguma promoção que venha a surgir também. Ter uma lista e segui-la estritamente é a melhor forma de não estourar o cartão de crédito. Mas esteja consciente que irão aparecer livros que você não esperava comprar por um preço convidativo. Recomendo também comprar nos estandes dos outlets, de feiras de livros, sebos e outros estandes de livrarias menores. Você encontra edições mais antigas por um preço bom. 

6- E as filas?

Tem fila para tudo: autógrafo, sessões e palestras, para tirar foto no Trono de Ferro, para ir ao banheiro, comer, beber água... Vai ter que lidar com isso e não se estressar. Sugiro que compre os ingressos com antecedência pelo site. Você não vai querer enfrentar mais uma fila, não é mesmo?

7- Eles dão sacolas para carregar os livros?

Ano passado deram. Mas fiquei com o braço inteiro machucado por causa do peso do livro. Alguns estandes deram ecobags, mas eram pouco resistentes. Sugiro que leve uma mochila, mala de rodinhas, carrinho de feira ou algo do gênero para carregar suas compras com um mínimo de conforto. E para não ficar com a coluna travada no dia seguinte. 

8- Como é o sinal de celular?

É péssimo! Algumas empresas pedem um post no Instagram, ou que os siga nas redes sociais para ganhar brindes, mas é um tormento! O 3G/4G pega muito mal, o sinal é instável... E você vai querer tirar muitas fotos e fazer stories. A minha dica é gravar tudo no celular e em casa ou no hotel você posta. Recomendo levar um carregador portátil também. Até existem tomadas, mas é super difícil encontrar uma vazia. 

9- E as pessoas, são legais?

Sim! Esse é o momento de fazer amizade com seu booktuber favorito, de conhecer amigos leitores, amigos virtuais, de encontrar novos @ para seguir no insta... Eu levei (e levarei de novo) meus marcadores e as pessoas foram super receptivas. Houve uma troca de marcadores bem intensa na Bienal, troca de brindes... Tem pessoas que fiz amizade na fila e converso até hoje pelas redes sociais. É uma experiência incrível. Sugiro deixar a timidez de lado e fazer amizades mesmo! 

Caso você tenha alguma dúvida que não foi devidamente esclarecida nesse post, por favor, deixe nos comentários que irei te responder com o maior prazer! Você já foi em alguma Bienal? Se sim me conte também o que achou da experiência!

20.7.18

Caderno de leituras - como faço o meu


Eu sei que já tem um vídeo falando sobre como eu organizo minhas leituras, mas resolvi mostrar aqui no blog de pertinho algumas coisas no meu caderno de leituras. 

Esse é um método que adotei recentemente, mas que vem me ajudando muito a elaborar as resenhas que trago aqui para o blog. Também é uma forma de controlar e manter contato com livros que li anteriormente, e até mesmo para responder TAGs. 
18.7.18

TAG - O que você prefere - Versão Literária


Faz tempo que não apareço com uma TAG por aqui, não é mesmo?
Hoje vou responder aqui a TAG " O que você prefere", versão literária. Já vi essa TAG com vários assuntos. Encontrei as perguntas no Instagram @homeopatialiteraria


Ilustração por Wokumy • Layout por